Português (Brasil)English (United Kingdom)Español(Spanish Formal International)

Acción Sostenible

Justa Trama

Estatísticas

mod_vvisit_counterHoje23
mod_vvisit_counterOntem41
mod_vvisit_counterEsta semana226
mod_vvisit_counterEste mês824
mod_vvisit_counterTotal426319
Justa Trama PDF Imprimir Correo electrónico
Domingo 12 de Julio de 2009 18:29
AddThis Social Bookmark Button
There are no translations available.


Uma Trama Sustentável

Esta experiência de tramar sustentabilidade a partir das fibras do algodão orgânico começou ao mesmo tempo em várias regiões do Brasil. Foi o que nos relatou uma de suas idealizadoras, a Idalina (da Cooperativa Fio Nobre de Itajaí-SC), cuja sonoridade do nome já vem de ideal. E hoje se tornou mais que uma tecnologia sustentável, é uma verdadeira Cooperativa Central, a Justa Trama.
Na prática vários grupos de mulheres e também de agricultores buscavam se organizar para produzir de forma solidária. Isso acontecia de norte a sul e o espaço dos Encontros da Economia Solidária proporcionou a realização dessa união.

A articulação se consolidou durante o Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, com o fornecimento de sacolas de algodão cru e orgânico (um dos ícones do evento – todo mundo usava as sacolas). A “trama” garante hoje renda a mais de 700 envolvidos entre pequenos agricultores de algodão no Ceará, coletores de sementes em Rondônia, para botões ou biojóias; fiadoras e tecedoras em Minas e costureiras no restante da rede no Rio Grande do Sul e aqui em Santa Catarina.

O grande diferencial está exatamente na forma como a cadeia produtiva foi montada; do algodão que é plantado de forma consorciada e sem agrotóxicos, passando pela industrialização do fio, que acontece numa fábrica recuperada da falência pelos trabalhadores e finalmente o produto final nas mãos de costureiras cooperativadas.

Todos têm ganhos reais pela agregação de valor propiciada pelo sistema de distribuição e comercialização. Senão vejamos alguns exemplos. No sistema convencional uma costureira de facção ganha em torno de R$0,45 para fechar uma camiseta. Já a Justa Trama paga no mínimo R$1,00. O custo de uma camiseta industrial, disputando com o trabalho escravo da China gira em torno de R$6,70. Na Cooperativa ela sai por R$20,00 e é vendida por R$25,00, ainda mais barata que uma camiseta de grife que no Shopping sai por R$30,00. A margem de lucro em vez de ir para um único industrial acaba distribuída na rede de cooperativados da Justa Trama.

Hoje a Cooperativa Central Justa Trama é composta de várias outras Cooperativas ou ONGs (Univens-RS, Fio Nobre-SC, Coopstilus-SP,  Coopertextil-MG, CoopAçaí-ROe Adec-CE), tudo isso”tramado” ao longo dos anos na cadeia ecológica do algodão solidário.
Como diz a própria abertura do Site da Cooperativa: “Ao comprar uma roupa da Justa Trama estamos contribuindo para a
consolidação de um modelo de desenvolvimento sus¬tentável e solidário, em que a cooperação vai do primeiro ao último elo da cadeia: você!”

Isso pode ser difícil de entender em princípio. Como eu e você podemos pagar mais por um produto e ainda sermos beneficiados. Bem, essa é a verdadeira cadeia de valor agregado. Ou de outra forma.

Quando você e eu pagamos um pouco menos para a indústria convencional estamos enriquecendo alguns poucos. Quando adquirimos produtos sustentáveis, mesmo aparentemente mais caros, estamos gerando renda, tirando marginais das ruas, evitando agrotóxicos nos rios, distribuindo melhor a renda... Sendo sustentáveis de fato!

Projeto: Justa Trama
ONG: Cooperativa Central Justa Trama
Site: www.justatrama.com.br
Contato: nelsa-nespolo@ig.com.br  ou (51)3344-3454.

CS-Imprensa

 




Copyright © 2010 Consultor Social. Todos os direitos reservados.
Powered by Jimmy Solutions in IT and PixelArt Web Design